MERCADO DE CIMENTO – 3º trimestre

MERCADO DE CIMENTO – 3º trimestre

MERCADO DE CIMENTO – 3º trimestre

MERCADO DE CIMENTO – 3º trimestre

mercado de cimento 3 bimestre


MERCADO DE CIMENTO – 3º trimestre

De acordo com dados preliminares da indústria e segundo o SNIC, Sindicato Nacional da Indústria do Cimento, o período que se estende de janeiro a setembro totalizou 39,5 milhões de toneladas em vendas, comparado ao ano passado isso apresenta uma queda de 2,2%.

Quando analisado o período de 12 meses, o acúmulo em vendas totaliza 52,4 milhões de toneladas, mas ainda assim, com um número decrescente, apontando 2,9 milhões a menos do que no último ano. A porcentagem continua desacelerada apontando o último mês com 4,6 milhões de toneladas vendidas e 5,6% inferior a setembro de 2017.

O apontamento por dia útil, com as vendas do produto no mercado interno em setembro tiveram redução de 1,2% na comparação com o ano anterior, porém, um crescimento de 8,3% no último mês.

 

CONSUMO APARENTE E IMPORTAÇÃO

Considerando o mercado interno e as importações, do início de 2018 até o último mês, o mercado totalizou 39,6 milhões de toneladas, indicando uma retração de 2,5 milhões quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Ao considerar o período dos últimos 12 meses (outubro/17 a setembro/18), a queda no consumo aparente indica 3,2% sobre o período anterior (outubro/16 a setembro/17).

 

SETOR NÃO VÊ MELHORA ATÉ O FINAL DE 2018

Para Paulo Camillo Penna, Presidente do SNIC, os números refletem o fraco desempenho da atividade econômica e afirma: “Não vemos sinais de melhora até o final do ano. Tudo indica que 2018 fechará com queda próxima a 2% na demanda do produto. Desse modo, teremos o quarto ano consecutivo no vermelho, acumulando uma retração de 26% no período” (…)  O PIB brasileiro, que começou o ano com projeção de crescimento de 3%, deverá fechar 2018 com apenas 1,3%; já a produção industrial do país caiu pelo segundo mês consecutivo, conforme dados dessazonalizados apurados pelo IBGE; e a alta taxa de desemprego mostra a dificuldade da economia gerar empregos e absorver o imenso contingente de desempregados. O presidente do SNIC destaca também que a atividade da construção continua em queda (-1,7% no 1º semestre de 2018). “Esse setor, que é fundamental para a geração de emprego e para o consumo de cimento, vive um momento de estagnação que já atinge o 5º ano consecutivo”.

O Presidente do SNIC também aposta em um melhor desempenho na indústria do cimento para o próximo ano, principalmente após o período eleitoral, o que pode retomar o crescimento do setor.

 

Fonte: Intercement

0 comments